NOVO! Nova revista digital Leia mais

Finanças S/A

Monitoramento de fluxo impacta diretamente no ROI do varejo

3 Mins read

Por Ricardo Fiovaranti *

 Em um cenário de intensa transformação, saber como e onde investir é fundamental para as empresas. Desperdiçar dinheiro em soluções, campanhas e produtos que não dão o retorno esperado pode custar a própria sobrevivência do negócio. Isso vale para qualquer setor, evidentemente, mas o impacto costuma ser ainda maior no varejo por ser um mercado extremamente competitivo. O ROI (retorno sobre investimento) de marketing é um dos principais indicadores para avaliar essa eficiência – que só é possível no varejo a partir da análise de dados sobre o monitoramento de fluxo de consumidores.

A influência dos dados na estratégia do varejo, aliás, aumenta continuamente. Hoje, o varejista não pode mais tomar decisões baseadas em achismos e em sua própria experiência. O mundo mudou e a forma de fazer negócios também. Estimativa da IDC, por exemplo, mostra que o mercado de transformação digital deve alcançar US$ 6,8 trilhões até 2023. Além disso, três em cada quatro organizações irão adotar um roteiro para se transformarem digitalmente nos próximos dois anos – hoje, esse percentual é de apenas 27%. O levantamento reforça a necessidade de as empresas utilizarem soluções que automatizam processos e oferecem insights.

Mas como o monitoramento de fluxo se transformou em indicador essencial para realizar a transformação digital do varejo e, consequentemente, gerar análises que antes eram impensáveis para o setor, como o retorno sobre investimento? Justamente com o apoio de tecnologia existente hoje. Por meio do video analytics, que combina visão computacional com inteligência artificial, é possível monitorar todo o ambiente da loja e, assim, entregar diversos KPIs sobre a jornada do consumidor, as áreas mais frequentadas e o tempo de permanência. Informações que, há pouco tempo, eram inimagináveis para qualquer negócio que operasse no ambiente off-line.

Era preciso realmente compreender que o varejo físico necessitava de indicadores inteligentes e confiáveis para analisar a performance do estabelecimento – com os quais o comércio eletrônico já contava. Aqui a lógica é a mesma: “acompanhar” a trilha do consumidor e transformá-la em dados que podem ser mensurados e, claro, comparados. É o que acontece com o ROI. Como descobrir o percentual de conversão após uma campanha se não havia um número claro de quantas pessoas de fato entraram no estabelecimento? Não à toa, segmentos como “moda”, “beleza”, “calçados” e “home center” estão entre os que mais aderem a essa solução. A competitividade é alta e há preocupação constante em saber se as estratégias estão atingindo os resultados esperados.

Quando o lojista obtém a informação sobre o monitoramento de fluxo e cruza com outros indicadores, os KPIs que surgem apoiam sua tomada de decisão e, principalmente, mostram os pontos de ineficiência da operação. Assim, ele compreende a jornada do consumidor e consegue, ao mesmo tempo, tanto reduzir custos quanto alavancar vendas. Um exemplo clássico é a análise de performance de campanhas de marketing. É possível comparar se há real aumento de fluxo e de conversão no período da campanha em relação às semanas “comuns”, aquelas sem qualquer estratégia de divulgação. Ou ainda determinar horários de pico para o estabelecimento, que podem até basear ajustes no funcionamento do local e aumentar o faturamento do negócio.

Diante de tanto avanço tecnológico e com a aceleração digital de processos, não há mais espaço para “achismos” no varejo. Ou o empresário toma decisões de acordo com análises inteligentes a partir de dados, ou então corre o risco de ficar pelo caminho em seu segmento. Saber qual é o ROI de todo investimento feito na loja é uma informação essencial que precisa estar disponível na gestão do negócio. A boa notícia é que já há soluções para isso – e elas passam invariavelmente pelo monitoramento (e pela compreensão) do fluxo de consumidores nos corredores do estabelecimento.

* Ricardo Fiovaranti é CEO da FX Data Intelligence, empresa especialista em visão computacional dirigida por IA, fornecendo insights estratégicos para o varejo – e-mail: fx@nbpress.com

Sobre a FX Data Intelligence  

A FX Data Intelligence é uma plataforma SaaS que fornece dados inteligentes para o varejo por meio de visão computacional dirigida por inteligência artificial. A empresa combina as informações coletadas na loja, como as características do fluxo, jornada de compra, tempo de fila, com outros dados como vendas, atratividade das vitrines entre outros KPIs definidos pelos clientes. Dessa forma, o varejista consegue identificar a eficiência da operação, melhorar o investimento em marketing para aquisição de novos clientes e potencializar a gestão do time de vendas, tudo isso com foco na melhoria da performance do negócio. Criada em 2015, faz parte da HiPartners Capital & Work, grupo de empresários e investidores que investe em soluções disruptivas para o varejo. Para saber mais, acesse: www.fxdata.com.br   

Crédito: Shutterstock

Related posts
Finanças S/A

Saiba porque a poupança ainda é o 'patinho feio' na estratégia financeira das pessoas.

3 Mins read
Por André Vilar * Uma rápida pesquisa nos portais de busca na web já é suficiente para encontrar uma infinidade de análises…
Finanças S/A

O impacto da transformação digital no mercado financeiro

3 Mins read
Por André Bravo O setor financeiro no Brasil é um dos principais alvos da inovação, pois tem levado tecnologia e automação aos…
Finanças S/A

Fintech ajuda investidor da renda fixa a diversificar com financiamento de energia solar

4 Mins read
meta da Mutual é transacionar R$ 8 milhões ao mês em crédito para energia solar até final deste ano POR MODO CON …
Fique por dentro das novidades

Se inscrevendo em nossa newsletter você ganha benefícios surpriendentes.