NOVO! Nova revista digital Leia mais

Moeda Forte

Personalização como produto: por que os clubes de assinatura crescem?

3 Mins read

POR: Luana Gabellini | NB Press Comunicação

A valorização de experiências personalizadas é praticamente consenso entre as empresas que atuam nos canais digitais. Não importa o segmento ou o porte: é preciso criar um relacionamento individual com os consumidores para atraí-los a sua marca e, claro, aumentar a taxa de conversão de pedidos. Ofertas exclusivas, descontos no e-mail e atendimento no canal que o cliente escolher são apenas algumas das estratégias utilizadas. Entretanto, mais do que conceito, a própria personalização também funciona como produto. É o que ocorre atualmente com os clubes de assinatura. O segmento está em alta não por oferecer produtos recorrentes, mas sim por vender essa
individualidade.

Evidentemente, esse cenário só foi possível a partir das transformações provocadas pela pandemia de covid-19. Segundo levantamento da Ebit/Nielsen, 13 milhões de brasileiros fizeram sua primeira compra on-line em 2020, um aumento de 29% em relação a 2019. Essa experiência foi bem-sucedida: praticamente sete em cada dez pessoas (69,5%) que fizeram a primeira compra on-line confirmaram que promoveriam a marca com a qual se relacionaram. Já pesquisa da OnYou com o Centro de Inteligência Padrão (CIP) mostra que 78% dos usuários não pretendem diminuir as compras on-line mesmo com a flexibilização da pandemia.

A estratégia de personalizar serviços e relacionamento é, certamente, um dos principais fatores que explicam números positivos. Comprar pela internet não é tão complicado quanto muitos consumidores reticentes imaginavam, afinal. Diversas empresas souberam explorar esse conceito e se destacaram em meio à incerteza da pandemia. Quando se junta esse potencial dos canais digitais à oferta de produtos idealizados especificamente para o consumidor, a taxa de sucesso é ainda maior. Não à toa, os clubes de assinatura demonstraram crescimento acima da média desde o início da pandemia. Eles proporcionam ao usuário uma personalização completa com comodidade e eficiência.

O modelo de negócios dessas empresas é direcionado para enxergar a personalização como um produto a ser comercializado. A recorrência das compras é um grande exemplo. Na grande maioria dos casos, o consumidor escolhe o período em que deseja receber seu pedido, podendo ser um, dois ou até três meses. Ainda que alguns planos sejam pré-definidos pelas marcas, há alternativas que permitem escolher os itens que farão parte da compra. Além disso, as informações levantadas pelas transações oferecem a chance de a loja virtual identificar melhores oportunidades para se aproximar do cliente, antevendo seus desejos e criando campanhas específicas.

Dessa forma, quando alguém resolve participar de um clube de assinatura, não está interessado apenas na qualidade dos produtos adquiridos. O foco é, principalmente, na oportunidade de receber ofertas que atendem a todos os seus objetivos e necessidades naquele momento. Quem gosta de café opta por um clube de assinatura para receber novos sabores e estilos. A mesma coisa com vinho, livros, churrasco, entre outras áreas. É claro que esse resultado depende do investimento adequado em plataformas tecnológicas. É preciso encontrar soluções parceiras com expertise na área que ofereça diversas funcionalidades para que a marca não perca nenhuma oportunidade.

Em um cenário de intensa transformação como o que estamos vivenciando, é difícil imaginar para onde vai o comércio eletrônico brasileiro. Os avanços obtidos nos últimos meses impulsionaram o setor, e a expectativa de crescimento é grande para os próximos anos. Mas se o fim da caminhada ainda é uma incógnita, os meios para se chegar lá são bastante conhecidos. A personalização é uma estratégia praticamente obrigatória para quem atua no e-commerce. Os clubes de assinatura mostram que o consumidor quer uma experiência pessoal completa, do atendimento ao pós-venda. Quem perceber isso alcançará os resultados esperados.

* Luan Gabellini é sócio-diretor da Betalabs, empresa especializada em tecnologia para e-commerce e clubes de assinatura

Sobre a Betalabs

Criada em 2011 por Luan Gabellini e Felipe Cataldi, a Betalabs é uma empresa de tecnologia especializada na oferta de soluções para e-commerce e clubes de assinatura. Inicialmente focada no desenvolvimento de projetos sob medida em cloud computing, atualmente a empresa oferece uma única plataforma a seus clientes, mas com diversas funcionalidades e possibilidades de integração com outras tecnologias, como marketing e logística. Entre os recursos disponíveis estão plataforma de e-commerce para lojas virtuais, plataforma específica para clubes de assinatura, ERP Cloud e integração com marketplaces. Mais informações, acesse:www.betalabs.com.br

Crédito:  divulgação Betalabs

Related posts
Moeda Forte

American Express apresenta nova Country Manager no Brasil

1 Mins read
POR: American Express A executiva Carolina Lamiaux é a nova Country Manager da American Express no Brasil. Carolina chega para dar continuidade à estratégia…
Moeda Forte

Logcomex anuncia Alexandre Rubio como novo CFO

2 Mins read
Executivo com 17 anos de experiência vem com a missão de transformar digitalmente o comércio exterior POR: Carolina Lara A Logcomex, startup…
Moeda Forte

Icatu é escolhida pela chilena Betterfly para inovar o mercado brasileiro de seguros de vida, em parceria inédita e exclusiva

4 Mins read
As empresas vão oferecer um seguro de vida com proteção dinâmica associado a uma plataforma de bem-estar e impacto social, com intuito…
Fique por dentro das novidades

Se inscrevendo em nossa newsletter você ganha benefícios surpriendentes.